Home section

Imprensa

A Divsite já publicou este artigo em alguns sites e fóruns relacionados à marketing e internet.
Down arrow

Dicas Importantes Para Quem Quer Contratar Um Serviço De Links Patrocinados Para Divulgar Seu Negócio.

Como não ser enganado por uma agência de divulgação digital via links patrocinados, no Google:

Antes de tudo, falaremos do Google e buscadores parceiros dele, por uma razão simples: para se atingir pessoas completamente desconhecidas e no momento exato em que elas estão procurando o que se tem a oferecer, o Google ainda é o meio mais rápido e eficaz.

Um serviço de Google pago, de" links patrocinados", para fazer jus a todo o seu potencial, tem de ser um trabalho artesanal, feito em detalhes e com grande e contínua dedicação, como um "trabalho de formiguinha" , coisa de relojoeiro mesmo (para o Google gratuito ou orgânico, veja a subpágina "Seo").

Isto, em termos práticos, significa uma coisa em nosso páis: é quase impossível encontrar uma agência apta a realizá-lo. E é fácil comprovar isto, apenas analisando o que há de mais comum no mercado. Resumimos aqui, quais práticas muito comuns já demonstram, de imediato, que uma agência não tem condições de realizar um ótimo trabalho. E justificamos porque. São perguntas que você deve fazer para conhecer uma agencia ou coisas que você simplesmente pode observar ao visitar uma agência.

1. A agência não dá nenhum nível de acesso ao cliente, dentro da plataforma do próprio Google Adwords, ou seja, o cliente não tem acesso direto, dentro do Google, à sua conta e a agencia apenas "cola", de modo on line, algumas telas do Google na tela da própria agencia, no "espaço do cliente", por exemplo. Este acesso "intermediado" tem uma explicação: a certeza de poder ocultar do cliente, falhas e limitações no serviço prestado, o que ele poderia descobrir. Isto pode poupar muito tempo e dor de cabeça para uma agência, além de evitar possíveis ações judiciais: não tendo acesso à quase nada, o cliente nem tem como colocar questões, dúvidas, para a agência ! Mas por ser um acesso "intermediado", o cliente tem a sensação, FALSA, de que a agência, ao contrário, está sim trabalhando muito e com muito afinco e atenção. Afinal, criaram uma plataforma própria só para isso, não é mesmo ? Mas, em realidade, geralmente é do oposto total que se trata, RSS. Em suma: intermediar para ocultar, para não perder tempo, para não correr riscos e, ainda por cima, para sair "bonito na fita" dando a impressão de ser um trabalho totalmente "controlado", "supervisionado" e "constante", RSS. Genial, não ? Sim: comercialmente falando, é genial mesmo.

2. A agência nem diz ao cliente e muito menos mostra, é claro, que o Google fornece as frases exatas que os internautas digitam em suas buscas, que são denominadas "termos de pesquisa". Usualmente, envia ao cliente, apenas um relatório genérico com número de visitas, de visualizações e custos e, no máximo, um relatório de palavras chave. A razão é simples: se o cliente puder acessar o que os internautas estão digitando nas buscas, ele comprovaria, sem margem de erro, o enorme montante de visitas erradas, inúteis, que o site está recebendo, e o prejuízo enorme que está tendo. De outro lado, o cliente também poderia deduzir o tanto de clientes em potencial que está deixando de alcançar e/ou perdendo.

3. A agência é uma mega agencia ou uma enorme empresa originária de outro ramo ( jormais, guias, provedores de acesso à internet, portais famosos de internet, empresas que criam sites, agencias de web design, agencias de publicidade convencionais ou agencias super completas e diversificadas, etc.): em ambientes assim, é quase impossível um trabalho artesanal que não seja algo no "atacado" e padronizado, no mais puro estilo "linha de produção" para "todos". Como um serviço sério de Google Adwords deve ser artesanal e altamente personalizado, nestes locais voce dificilmente encontrará algo minimamente aceitável.

4. A agência ou tem poucos funcionários lidando com muitas contas diferentes, ou muitos funcionários lidando com muitas contas, ao estilo de um verdadeiro "SAC" de grandes corporações ou de uma "linha de produção". É óbvio que, muito provavelmente, estas pessoas não poderão fazer nada de artesanal e nem se preocuparão em faze-lo. Ou melhor, nem teriam como se preocupar com isso, mesmo que quisessem.

5. A agência diz a voce que haverá mais de uma pessoa para atende-lo, mais de um atendente, e que voce poderá falar com qualquer um porque dá no mesmo, já que "todos se preocupam e conhecem muito bem seu ramo e seu caso": nestas condições, é impossível um atendimento super personalizado, específico, sob medida e com riqueza de detalhes. E acredite: este tipo de atendimento só dá "certo", quando se tem, justamente, um atendimento padronizado e não personalizado, pois é isto o que permite que qualquer funcionário possa "atender" qualquer cliente em qualquer situação.

6. A agência não diz ao cliente que ela mesma precisaria se preocupar não só com os resultados reais para o cliente mas também com o julgamento do Google sobre o cliente, a fim de que ele esteja sempre sendo visto como um anunciante relevante, o que é OUTRA COISA DIFERENTE, e o que pode fazer o cliente sempre aparecer bem e até pagando menos. Resultado: muitas agencias fazem o cliente ganhar muito, muito dinheiro no início e, após o segundo ou terceiro mês, tudo começa a piorar e a ficar cada vez mais caro e com menos resultados. Mas aí, como o cliente já teve uma boa impressão inicial, ele dá um "desconto", um "voto de confiança", e continua pagando e, as vezes pagando "fortunas", tanto para a agência como, por mais contraditório que pareça, para o Google. Quando o cliente cansar e resolver abandonar, a agencia já terá ganho um bom dinheiro com mais uma pessoa que foi enganada.

7. A agência exige contratos de alguns meses, com valor mínimo garantido e com multa rescisória. A explicação é simples: como dito no item acima, em muitos ramos e situações, o cliente se verá obrigado a desistir após certo tempo mas a agencia quer e precisa que ele pague pela incompetencia e/ou negligencia e/ou má fé da agencia. Um outro fator é que, como não há um trabalho artesanal, também pode ocorrer com frequencia, em certos ramos e circunstancias, do cliente não ter o retorno esperado logo de cara, de imediato. Para isso, a agencia também tem "solução": prender voce contratualmente, para que voce ajude a sustentar esta "máquina de fazer dinheiro" baseada, em última instancia, na exploração criminosa da falta de conhecimento técnico de pessoas leigas.

8. A agência não dá nenhuma garantia ao cliente, em termos de retorno, isto é, não se responsabiliza, de forma alguma, por aquilo que acontece com o investimento do cliente. Nem sequer garante um número mínimo de ligações, emails ou visitas. Imaginem, então, garantir e provar, por "a + b", que clientes em potencial estão sendo levados ao site do cliente, ao menos nos resultados das buscas! NEM PENSAR. E o que dizer de ARCAR com eventuais prejuízos do cliente? Até parece gozação, não é mesmo?

9. A agência não diz ao cliente que, com o tempo, ela poderá ter acesso à toda lógica de funcionamento do ramo do cliente, na Web. Ora, isto pode valer tanto quanto um segredo industrial, uma patente, uma invenção milionária!! Bem, não só as agencias não costumam comentar isso espontaneamente e de boa vontade, como não colocam nada disso em contrato. E PIOR: ainda atendem concorrentes do mesmo ramo e região, ao mesmo tempo! Parece piada, não? Mas não é. É prática corriqueira, de praxe.

Terminamos. Quem ainda achar que isto tudo não existe ou existe mas não é má fé e muito, muito menos ainda um CRIME, procure a primeira agência de divulgação digital e feche negócio logo.

Esperamos ter ajudado.

RICARDO LABBATE

Contact section

Contatos

Telefone
(11) 4171-3847
Whatsapp
(11) 96955-3506
E-mail
atendimento@divsite.com.br
Endereço
R. Francisco Leitão, 703 - Pinheiros
São Paulo - SP

Fale Conosco